Imagem capa - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA por Patrícia Oguma

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA

Desde o primeiro ano de vida a criança deve ser estimulada a fazer atividades físicas recreativas diariamente, de preferência ao ar livre.

A importância da Educação Física no Ensino Infantil como tal atividade pode promover o desenvolvimento integral da criança na fase da primeira infância, momento onde é construído o acervo motor de cada ser humano.

Gosto muito de abordar este tema para evidenciar a atividade física de forma responsável na vida da criança, sabendo que a Educação Física em qualquer faixa etária trás diversos benefícios a saúde, bem estar e mais qualidade de vida. A Educação Física infantil faz com que a criança vivencie experiências corporais de diferentes formas.

A importância da educação física infantil, “a educação física na infância  é importante, pois há um desenvolvimento motor, cognitivo e sócio afetivo, pontos que são importantes para uma convivência na sociedade.

Com as brincadeiras, a criança estimula a imaginação, aprende a respeitar as regras, etc. O professor deve ser o interventor, ajudando o aluno a desenvolver seus conhecimentos, habilidades e relações sociais. O profissional de educação física precisa entender cada estágio de desenvolvimento, para estimular corretamente cada etapa. Esses estímulos podem fazer a criança se desenvolver de uma forma mais acelerada. “A partir de brincadeiras e jogos podemos aprimorar as capacidades físicas básicas como saltar, correr, arremessar, pular, subir. O cognitivo como lógica, situações em que os professores colocam os alunos para que eles achem a solução e a parte afetiva, como trabalhar em equipe, saber lidar com uma situação desagradável e estressante”,

Os principais objetivos da atividade física infantil são: o domínio do controle corporal; diferenciar cada parte do corpo através do movimento; a noção de espaço e tempo; melhorar o desempenho em atividades de força, resistência, flexibilidade e velocidade; e cooperar em atividades de grupo.

Nossos dias atuais...

Em uma época onde muito se discute acerca das inovações tecnológicas a que a sociedade está submetida, alguns assuntos acabam sendo deixados de lado. Inserção das mídias nas escolas, nas aulas, nos momentos familiares e em todas as esferas da vida, seja por um computador, um game, um tablet ou um celular.
Diante da chamada sociedade tecnológica, o brincar e movimentar-se das crianças acaba, muitas vezes, sendo deixado de lado.
A criança conquista através da percepção todo o universo que a cerca, sente necessidade de explorar o espaço, porque é o momento em que o desenvolvimento da habilidade “andar” está no auge e a fala atinge uma verdadeira importância. Neste estágio o termo projetivo está relacionado ao funcionamento mental que está florescendo na criança. E um período em que se utilizam atos motores para auxiliar a exteriorização do pensamento. Porém, as instituições de ensino infantil precisam ser um espaço aconchegante e seguro proporcionando à criança uma infância mais voltada para o agora e não pensando nela como “adultos em miniaturas”.

Precisamos estar atentos a este assunto e acompanhar o desenvolvimento dos nossos filhos mais de perto!

É IMPORTANTE PROPORCIONAR O MAIOR NÚMERO POSSÍVEL DE EXPERIÊNCIAS À CRIANÇA!

No início da educação infantil, é importante proporcionar o maior número possível de experiências à criança, pois isso as ajudará a adquirir e descobrir um mundo completamente novo. A educação física deve, assim, ser inserida no conjunto de ações pedagógicas que ajudem o desenvolvimento infantil, tendo enfoque lúdico, sem perder sua importância pedagógica. Principalmente, pelo fato de a criança manter vínculos familiares ainda muito fortes.
“Nessa fase, a criança é muito ativa e, por meio dos movimentos, experimenta suas possibilidades e seus limites motores. Por isso, a educação física deve trabalhar a criança em seus movimentos mais amplos, ajudando-a a compreender seu corpo, podendo adquirir a autoconfiança necessária à sua autonomia”.